quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

O trabalho de Mintzberg

Ganhei de um amigo um material muito bacana do Henry Mintzberg. Ele estuda há décadas o dia-a-dia de gerentes, e faz cair por terra toda a beleza da teoria de liderança, mostrando o quanto um gerente sofre por não conseguir planejar, já que ele vira um apagador de incêndios diários, além de se frustrar quando sai das aulas de MBA que pregam a importância do planejamento gerencial.


Profissão: Gerente.

Ele cita, por exemplo, que 60 a 90% da comunicação gerencial é verbal. E que os gerentes preferem muito mais as "fofocas" do que números concretos. Exemplo: entre "vamos considerar 12% de risco sobre a queda do faturamento" e "vi seu cliente tomando cerveja com um concorrente seu", a segunda vai guiar suas próximas ações.
Um dos casos foi o de uma enfermeira-chefe de um hospital que executou 19 atividades em 3 minutos.
Segundo Mintzberg, não existe a chamada "interrupção das tarefas para atender o telefone, ou alguém pessoalmente, ou o skype, ou um e-mail urgente". Isso porque atender o telefone ou alguém pessoalmente, ou o skype, ou um e-mail urgente SÃO as tarefas de um gerente.


Publico mais em breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário